Publicidade


      Red Apple Cosméticos

      CPV - Centro Paranaense da Visão

      Hospital Cardiológico Costantini

      Hotel Carimã

Twitter @blogdojota


  • 23jul

    André Gonçalves e Luis Lomba, especial para a Gazeta do Povo

     

    Nomeação traz à tona possível ruptura entre PT e Fruet

    Massuda iria para ministério. Foto:- Henry Milleo/Gazeta do Povo

    Massuda iria para ministério. Foto:- Henry Milleo/Gazeta do Povo

     

    O Diário Oficial da União da segunda-feira (20) trouxe a nomeação do secretário de Saúde de Curitiba,Adriano Massuda (PT), para a Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos do Ministério da Saúde.

    Massuda teria sido surpreendido com a nomeação.

    O presidente estadual do PT, Ênio Verri, confirmou que o convite para a troca de cargo já era conhecido há algum tempo, mas que houve um “gap” no processo.

    A nomeação saiu antes de o secretário conversar com o prefeito Gustavo Fruet(PDT).

    Massuda permanece no cargo pelo menos até a próxima segunda-feira (27), quando deve ser reunir com Fruet, que está em viagem a Roma.

    A situação ampliou a especulação sobre uma ruptura entre PT e Fruet. Verri minimizou a questão. “Não estamos desembarcando da gestão Fruet.

    O PDT é um aliado importante e estratégico para nosso partido não só em Curitiba, mas em todo Paraná.”

    A prefeita em exercício, Mírian Gonçalves (PT), descarta que a eventual saída do secretário marque o início de uma ruptura.

    “De forma alguma. Não há qualquer desembarque previsto”, afirma. O rompimento da aliança em Curitiba tem sido alvo de especulações tendo em vista as eleições municipais no ano que vem.

    Mírian atribuiu o problema da dupla nomeação de Massuda a um erro do gabinete do ministro da Saúde, Arthur Chioro.

    “O convite foi reiterado e o ministro se dispôs a conversar com o nosso prefeito sobre a liberação do secretário. Por equívoco, antes de o secretário dar uma resposta, a nomeação foi publicada”, conta.

    Ela avalia que a eventual saída de Massuda não levará necessariamente à nomeação de outro petista para comandar a pasta.

    “A vinda do Massuda não era por cota do PT, mas por qualificação técnica. Ocorrendo a saída, o prefeito vai nomear o mais qualificado para o lugar dele.”

    Em nota, Massuda afirma que a nomeação não significa o exercício efetivo de um cargo.

    “A responsabilidade administrativa só ocorre após a tomada de posse no cargo, o que deve ocorrer em até 30 dias após a data de nomeação. Enquanto isso, o secretário continua a desempenhar normalmente as suas atividades na Prefeitura Municipal de Curitiba”.

    “A Secretaria Municipal da Saúde reitera que o secretário recebeu o convite do ministro da Saúde, Arthur Chioro, e só se posicionará sobre ele após conversa com o prefeito Gustavo Fruet”, diz o texto.



    Publicado por jagostinho @ 14:37



Os comentários NÃO representam a opinião do Blog do Jota Agostinho. A responsabilidade é EXCLUSIVA do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

Deixe um comentário

Por favor, atenção: A moderação de comentário está ativa e pode atrasar a exibição de seu comentário. Não há necessidade de reenviar o comentário.