Publicidade


      Red Apple Cosméticos

      CPV - Centro Paranaense da Visão

      Hospital Cardiológico Costantini

      Hotel Carimã

Twitter @blogdojota


  • 13ago

    AGÊNCIA O GLOBO

     

    Dilma ‘não lidera mais’ e nem pacto com Renan vai salvá-la, avaliam senadores

     

    Segundo parlamentares independentes, que se reuniram na terça-feira, ato protestos do próximo domingo são cruciais para definir o futuro da presidente

     

    Dilma endossou a “agenda positiva” de Renan, mas senadores dizem que o pacote de medidas é insuficiente para tirar o país da crise. Foto :- Ueslei Marcelino/Reuters

    Dilma endossou a “agenda positiva” de Renan, mas senadores dizem que o pacote de medidas é insuficiente para tirar o país da crise. Foto :- Ueslei Marcelino/Reuters

     

     

    Um grupo de 26 senadores independentes, de partidos da base e da oposição, participou de um jantar na noite de terça-feira para discutir formas de ajudar o Brasil a sair da crise.

    Dois importantes interlocutores do governo, no entanto, também estavam presentes: o líder do PMDB, Eunício de Oliveira (CE), e o ministro de Minas e Energia, Eduardo Braga (PMDB-AM).

    A avaliação de boa parte dos presentes foi de que a presidente Dilma Rousseff não lidera um “projeto” para o país e que a Agenda Brasil, articulada pelo presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), tem poucas medidas que podem ajudar a sair da crise e é, portanto, insuficiente.

    O ministro Eduardo Braga foi muito questionado sobre saídas dentro do governo, mas disse apenas que era preciso continuar conversando. Outro consenso é que as manifestações do próximo domingo vão ser decisivas para o futuro de Dilma.

    “Todo mundo que participou do jantar quer ajudar o Brasil, mas é preciso que haja um projeto, e quem esmiuçou a Agenda Brasil, do Renan, acha que é insuficiente. Todos concordaram também que Dilma não lidera mais, mas não tem uma saída ainda”, contou um dos senadores presentes.

    Pauta-bomba

    Uma semana após defenderem novas eleições, os senadores tucanos presentes no encontro — Cássio Cunha Lima (PB), Aloysio Nunes Ferreira (SP), Tasso Jeiressatti (CE) e José Serra (SP) — criticaram duramente a pauta-bomba aprovada na Câmara, mas também repudiaram a tática governista de jogar a responsabilidade pela saída da crise em seu colo.

    “Queremos ajudar num projeto para ajudar o país a sair da crise, mas o governo é quem tem que apresentar uma alternativa”, disse Cássio Cunha Lima durante o jantar.

    O grupo presente na reunião incluiu também senadores do PSB, PDT, PSol e Marta Suplicy (sem partido-SP).

    Publicado por jagostinho @ 16:28



Os comentários NÃO representam a opinião do Blog do Jota Agostinho. A responsabilidade é EXCLUSIVA do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

Deixe um comentário

Por favor, atenção: A moderação de comentário está ativa e pode atrasar a exibição de seu comentário. Não há necessidade de reenviar o comentário.