Publicidade


      Red Apple Cosméticos

      CPV - Centro Paranaense da Visão

      Hospital Cardiológico Costantini

      Hotel Carimã

Twitter @blogdojota


  • 19ago

    VEJA.COM

     

    Aécio convoca oposição para blindar tribunais da pressão do governo

     

    Senador mineiro afirmou que o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso verbalizou o desejo de ‘milhões de brasileiros’ ao defender a renúncia de Dilma

     

     

    Senador Aécio Neves (PSDB-MG)
    Senador Aécio Neves (PSDB-MG)(George Gianni/PSDB/Divulgação)

     

    O presidente nacional do PSDB, senador Aécio Neves, anunciou nesta terça-feira que partidos de oposição, setores independentes do PMDB e juristas devem se reunir nos próximos dias para avaliar a conjuntura política após os protestos do último domingo contra a presidente Dilma Rousseff.

    Uma das medidas discutidas pelos partidos é adotar estratégias para tentar blindar o Tribunal de Contas da União (TCU) e o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) contra ingerências do Palácio do Planalto.

    As duas cortes vão julgar processos que, nos limites, podem levar à saída da petista do poder.

    O anúncio ocorre um dia depois de Aécio ter almoçado com Fernando Henrique Cardoso e do próprio ex-presidente ter defendido publicamente a renúncia de Dilma como uma saída para minimizar a crise no país.

    “Nesse instante, é absolutamente fundamental que todos nós voltemos nossos olhos para a ação dos nossos tribunais, seja o Tribunal de Contas da União, seja o TSE, para que não sofram qualquer tipo de constrangimento. A opinião pública do Brasil repudiou no último domingo e repudiará de forma veemente qualquer tentativa de acordo, se ele realmente houver, que signifique manietar e constranger nossas cortes”, disse Aécio.

    “Para nós do PSDB, a solução será dada pela Constituição. Existem ações nos tribunais e estaremos dando prioridade à blindagem desses tribunais contra qualquer tipo de constrangimento. Dilma acha que é presidente mas não governa mais o Brasil”, afirmou.

    “Vamos examinar todas as alternativas e, amparados pelos juristas ligados ao PSDB, estaremos definindo de que forma vamos agir nas próximas semanas. O sentimento que colhemos é que esse governo perdeu na alma, no coração dos brasileiros quaisquer condições de permitir a retomada do crescimento, a recuperação do emprego, o controle da inflação e a recuperação da economia brasileira.”

    Pela primeira vez desde o início dos protestos contra a gestão Dilma, o PSDB participou ativamente dos manifestos, colocando deputados e senadores nas ruas.

    “O PSDB vem acompanhando desde o início esses protestos. Nossa ausência nos primeiros protestos tinha um sentido: darmos a oportunidade que a população percebesse que não são manifestações organizadas por partidos e com objetivos que sejam menores”.

    “Hoje todos sabemos que esses movimentos são da sociedade brasileira e o PSDB, enquanto parcela dessa sociedade, se fez presente e foi imensamente bem recebido. Temos que dar encaminhamento a esse sentimento sempre dentro do que preveem a Constituição e a lei”, disse o presidente do PSDB.

    Aécio Neves ainda defendeu a manifestação de FHC favorável à renúncia da presidente Dilma e disse que o líder tucano apenas verbalizou o desejo de “milhões de brasileiros”.

    “A presidente Dilma pensa que é presidente, mas ela não é mais presidente da República porque teve que delegar a condução da economia, a condução da política e agora sequer tem iniciativa na agenda do país. O PSDB não fugirá a essa conexão de ser intérprete desse sentimento que tomou as ruas de todo o Brasil”, resumiu.

    Publicado por jagostinho @ 11:43



Os comentários NÃO representam a opinião do Blog do Jota Agostinho. A responsabilidade é EXCLUSIVA do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

Deixe um comentário

Por favor, atenção: A moderação de comentário está ativa e pode atrasar a exibição de seu comentário. Não há necessidade de reenviar o comentário.