Publicidade


      Red Apple Cosméticos

      CPV - Centro Paranaense da Visão

      Hospital Cardiológico Costantini

      Hotel Carimã

Twitter @blogdojota


  • 28nov

    <[email protected]civil.pr.gov.br>

     

    cida_funcionárias-palácio
    Esta sexta-feira (27), Dia Estadual e Nacional de Luta Contra o Câncer de Mama, foi marcada por uma série de ações educativas no Centro de Curitiba.

    A mobilização alertou sobre a importância do diagnóstico precoce e do tratamento adequado deste tipo de câncer, considerado o que mais atinge mulheres no País. 

    A vice-governadora Cida Borghetti, autora da lei que instituiu a data no Paraná, quando era deputada estadual, e a secretária de Estado do Trabalho e Desenvolvimento Social, Fernanda Richa, participaram das atividades. 

    Para Cida Borghetti, é preciso que a sociedade se una em torno desta causa relevante.

    “Somente com informação é que evitaremos mortes por câncer de mama”, disse. Cida ressaltou que o câncer de mama é uma doença grave, mas que se diagnosticada precocemente pode ser curada com tratamento adequado.

    “Por isso, esse tipo de ação educativa deve ser replicada em todo o Estado, para que mais mulheres saibam dos seus direitos e também se previnam”, destacou. 

    Fernanda Richa alertou às mulheres sobre a importância de se procurar unidades de saúde para fazer os exames de rotina.

    “Para que nós mulheres possamos cuidar da nossa família, é preciso que tenhamos primeiramente boas condições de saúde. Desta forma, temos que estar atentas às medidas de prevenção e não esquecer de adotar hábitos saudáveis”, declarou ela. 

    Atualmente, estima-se que 3.490 novos casos de câncer de mama sejam diagnosticados por ano no Paraná.

    Além disso, em 2014 o Estado registrou 885 mortes pela mesma causa, o que ressalta a importância de se falar sobre o tema. 

    INFORMAÇÕES – Nesta sexta-feira, o Governo do Estado montou uma tenda de serviços para as mulheres na praça Santos Andrade, no Centro de Curitiba.

    A ação contou com o apoio do Instituto Humsol, entidade sem fins lucrativos que desenvolve ações voltadas ao cumprimento dos objetivos do Milênio. 

    Para a presidente do Humsol, Tânia Gomes, que se curou de um câncer há 14 anos, o evento possibilita que mulheres compartilhem experiências e ajudem no trabalho de prevenção.

    “Orientamos as mulheres quanto aos fatores de risco, diagnóstico e tratamento do câncer de mama e fizemos algumas intervenções artísticas para falar sobre o assunto de forma mais descontraída”, disse Tânia. 

    A empregada doméstica Marilza Belardo, 44, aproveitou para participar das atividades.

    Enquanto pintava as unhas com o símbolo da campanha internacional contra o câncer de mama, Marilza contou que há três anos começou a fazer mamografias periódicas, devido a suspeita de um nódulo.

    “Tive meu filho muito tarde, aos 40 anos, e por conta de um pequeno desconforto na mama resolvi procurar um médico. Felizmente não era nada, mas desde então faço os exames todos os anos”, relatou Marilza. 

    RISCO – Segundo o médico mastologista da Secretaria Estadual da Saúde, Vinicius Budel, a chance de cura de um câncer de mama pode chegar a 95% caso a doença seja diagnosticada precocemente.

    “É essencial que toda mulher procure seu médico e esteja atenta a qualquer alteração em seu corpo. Já aquelas que têm algum fator de risco devem ter cuidado redobrado”, revelou. 

    Entre os principais fatores de risco para o desenvolvimento de câncer de mama estão: idade superior a 50 anos, maternidade tardia, ter feito tratamento com hormônios femininos, caso de câncer de mama na família (mãe, irmã e filha), menopausa tardia e primeira menstruação com menos de 12 anos. 

    DIAGNÓSTICO – Uma das formas mais eficazes de diagnosticar o câncer de mama é a mamografia de rastreamento, disponível gratuitamente pelo SUS.

    “A indicação é que todas as mulheres com mais de 50 anos realizem este exame pelo menos uma vez a cada dois anos, conforme orientação médica”, recomenda Budel. 

    Atualmente, o Estado conta com 136 aparelhos de mamografia em funcionamento na rede pública de saúde, permitindo a oferta do exame em todas as regiões do Paraná.

    Em 2014, foram feitas quase 340 mil mamografias no Estado. 

    O governo estadual também estruturou unidades especializadas, com mamógrafo digital, em serviços de saúde de Londrina (Cismepar), Maringá (UEM) e Curitiba (Hospital de Clínicas).

    Em breve, entrará em funcionamento a Unidade da Mama em Cascavel, no Hospital Universitário da Unioeste.

    Os modernos aparelhos foram adquiridos através de emenda parlamentar de Cida Borghetti, quando era deputada federal. 

    Participaram também do evento o secretário estadual da Cultura, João Luiz Fiani; a presidente do Provopar Estadual, Carlise Kwiatkowski; a superintendente de Atenção à Saúde, Márcia Huçulak; a ex-governadora Emilia Belinati; representantes da Associação Amigas da Mama, Ordem dos Advogados do Brasil-Paraná e Polícia Militar.



    Publicado por jagostinho @ 18:15



Os comentários NÃO representam a opinião do Blog do Jota Agostinho. A responsabilidade é EXCLUSIVA do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

Deixe um comentário

Por favor, atenção: A moderação de comentário está ativa e pode atrasar a exibição de seu comentário. Não há necessidade de reenviar o comentário.