Publicidade


      Red Apple Cosméticos

      CPV - Centro Paranaense da Visão

      Hospital Cardiológico Costantini

      Hotel Carimã

Twitter @blogdojota


  • 08nov

    UCHO.INFO

     

    Governo Temer abusa da irresponsabilidade e torra R$ 500 mil para homenagear o samba

     

    michel_temer_1022

     

    Definitivamente o governo de Michel Temer (PMDB) é mais do mesmo.

    No momento em que tenta aprovar medidas de ajuste fiscal para minimizar os efeitos da grave crise econômica, o Palácio do Planalto não pensou duas vezes para torrar R$ 500 mil do suado dinheiro do contribuinte.

    O montante serviu para bancar um show palaciano para convidados em homenagem ao centenário do samba.

    Como a gastança não precisou de licitação, comprovado está que esse governo é o “samba do crioulo doido”.

    Na edição desta segunda-feira (7), o Diário Oficial da União (DOU) trouxe a publicação das duas dispensas de licitação para a contratação de personalidades do samba, as quais serão agraciadas com a Ordem do Mérito Cultural.

    A cerimônia, que consta da agenda oficial da Presidência e será fechada para convidados, terá apresentações de Neguinho da Beija Flor, Márcio Gomes, Áurea Martins e André Lara.

    A cantora Fafá de Belém foi contratada para cantar o Hino Nacional.

    O Ministério da Cultura contratou por R$ 596.800 a empresa Treco Produções Artística Ltda, “representante exclusiva de artistas consagrados pela crítica especializada e/ou opinião pública”.

    De acordo com a pasta, a produtora prestará serviços de roteiro, direção, produção e promoverá apresentações musicais.

    No Diário Oficial não aparecem os nomes dos artistas contratados para o evento.

    Em outro contrato, também publicado no DOU, o governo informa o pagamento de R$ 15 mil a Fafá de Belém, responsável pela interpretação do Hino Nacional no início da cerimônia.

    O ministério fornece a mesma e esfarrapada explicação ambas as dispensas de licitação: “Contratação de artistas consagrados pela crítica especializada e/ou opinião pública”.

    Temer, que antes de ocupar o principal gabinete do Palácio do Planalto garantiu austeridade no trato da coisa pública, precisa criar a Secretaria Especial do Bom Senso.

    No momento em que o governo acena com corte de gastos – e consequentemente redução de investimentos – e está prestes a enviar ao Congresso uma reforma da previdência que exigirá dose extra de esforço do trabalhador contribuinte, esse gasto é no mínimo um deboche no país da piada pronta.

    Não foi por acaso que Michel Temer fez dupla com Dilma Rousseff (2010 e 2014), protagonizando ao lado da petista o período mais corrupto da história nacional e de devastadora incompetência governamental.

    Em 2015, ainda no desgoverno da então presidente Dilma Rousseff, o Ministério da Cultura gastou R$ 1,1 milhão entre passagens e cachê para o mesmo evento, que contou com apresentação de Caetano Veloso.

    À época, a cerimônia serviu de palanque para a defesa do mandato de Dilma, que deixou o cargo recentemente no vácuo de um processo de impeachment, de uma crise econômica sem precedentes e de denúncias de corrupção.



    Publicado por jagostinho @ 11:34



Os comentários NÃO representam a opinião do Blog do Jota Agostinho. A responsabilidade é EXCLUSIVA do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

Deixe um comentário

Por favor, atenção: A moderação de comentário está ativa e pode atrasar a exibição de seu comentário. Não há necessidade de reenviar o comentário.