Publicidade


      Red Apple Cosméticos

      CPV - Centro Paranaense da Visão

      Hospital Cardiológico Costantini

      Hotel Carimã

Twitter @blogdojota


  • 30mar

    OPINIÃO E NOTÍCIA

     

    MPE pede cassação de Temer e inelegibilidade de Dilma

    Parecer do órgão pode levar a eleições indiretas, caso seja aceito pelo Tribunal Superior Eleitoral

    MPE pede cassação de Temer e inelegibilidade de Dilma
    O julgamento da ação sobre a chapa está marcado para o dia 4 de abril (Foto: EBC)

    O Ministério Público Eleitoral (MPE) pediu ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) a cassação do presidente Michel Temer e a inelegibilidade de Dilma Rousseff.

    O pedido foi encaminhado ao tribunal na última terça-feira, 28, e teve o parecer assinado pelo vice-procurador-geral eleitoral Nicolao Dino.

    A defesa de Temer informou que só se manifestará sobre o parecer no julgamento. A defesa de Dilma não se manifestou

    O julgamento da ação que acusa a chapa Dilma-Temer de abusar do poder político e econômico para vencer as eleições de 2014 está marcado para o dia 4 de abril.

    Se Temer for cassado, ocorrerão eleições indiretas. O presidente poderá participar delas, caso o TSE mantenha sua elegibilidade.

    No ano passado, o MPE já havia orientado o TSE a negar o pedido de divisão de chapa feito pela defesa de Temer.

    O texto do parecer, também assinado por Dino, argumentou que “o abuso de poder aproveita a chapa em sua totalidade, beneficiando a um só tempo o titular e o vice”.

    Em outro parecer, o órgão afirma que as informações colhidas com a quebra do sigilo bancário das gráficas Red Seg Gráfica, Focal e Gráfica VTPB, contratadas pela chapa, indicam “fortes traços de fraude e desvio de recursos”.

    As defesas e considerações finais do processo foram encaminhadas esta semana ao TSE. A defesa final de Temer segue pedindo a divisão da chapa e a anulação dos depoimentos dos executivos da Odebrecht em delação premiada sobre o caso.

    Segundo os advogados, o presidente teria direito a ser julgado de forma individual, já que utilizou uma conta separada nas eleições de 2014.

    Eles também pedem a anulação dos depoimentos de executivos, afirmando se tratar de “indicativos extraídos da mídia escrita, resultado de vazamento ilegal das informações”.

    O PSDB, autor da ação que iniciou o processo, também defende a divisão da chapa. Esta semana, o partido enviou suas alegações finais ao TSE, defendendo a divisão e a isenção de Temer de “qualquer prática ilícita”.

    “Ao cabo da instrução destes processos não se constatou em nenhum momento o envolvimento do segundo representado (Michel Temer) em qualquer prática ilícita. Já em relação à primeira representada (Dilma Rousseff), há comprovação cabal de sua responsabilidade pelos abusos ocorridos”, diz o documento.

    Nicolao Dino é um dos nomes cotados para suceder o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, cujo mandato termina em setembro.

    Para que isso ocorra, ele terá de ser escolhido em votação no MPE e, depois, ser indicado por Temer para a vaga.

    Porém, o nome de Dino sofre bastante rejeição no Congresso. Isso porque ele é irmão do governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), opositor do núcleo do PMDB no estado.



    Publicado por jagostinho @ 10:33



Os comentários NÃO representam a opinião do Blog do Jota Agostinho. A responsabilidade é EXCLUSIVA do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

Deixe um comentário

Por favor, atenção: A moderação de comentário está ativa e pode atrasar a exibição de seu comentário. Não há necessidade de reenviar o comentário.