Publicidade


      Red Apple Cosméticos

      CPV - Centro Paranaense da Visão

      Hospital Cardiológico Costantini

      Hotel Carimã

Twitter @blogdojota


  • 15set

    BEM PARANÁ/NARLEY RESENDE

     

    Ex-governador Beto Richa deixa a prisão e diz que voltará à campanha por vaga ao Senado

     

    Ex-governador Beto Richa deixa a prisão e diz que voltará à campanha por vaga ao Senado
    (Foto: Narley Resende) 

    O ex-governador do Paraná e candidato ao Senado pelo PSDB, Beto Richa, deixou a prisão no início da madrugada deste sábado (15). Preso desde terça-feira (11) no Regimento da Polícia Montada, no bairro Tarumã, em Curitiba, ele foi solto após decisão do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Gilmar Mendes, na noite de sexta-feira (14).

    A mulher de Beto e ex-secretária estadual, Fernanda Richa, e outros 13 investigados da Operação Rádio Patrulha também tiveram a liberdade concedida.

    Em declaração na saída do Regimento, Beto Richa, classificou como crueldade a sua prisão e questionou a seriedade do delator, Toni Garcia. 

    “O que fizeram comigo foi uma crueldade enorme, eu não merecia o que aconteceu, mas estou de cabeça erguida. Continuo respondendo a todas as acusações. Foram dias de sofrimento para mim e toda a minha família”.

    “Lamento que a palavra de um delator sem credibilidade tenha começado isso. Vale a minha palavra ou a dele?”, questionou o ex-governador. 

    “Quero abraçar meus fllhos e netos e voltar à campanha”.

    Os investigados foram detidos pelo Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado (Gaeco) suspeitos de envolvimento em um esquema de superfaturamento de contratos para manutenção de estradas rurais em troca de propina.

    Antes da decisão do ministro, o juiz Fernando Fischer havia convertido as prisões temporárias em preventivas – sem prazo – do ex-governador e de outros nove investigados na operação considerando haver risco à ordem pública e à ordem econômica.

    Nesta sexta, Beto foi levado a depor no Gaeco, mas preferiu ficar calado.

    Fernanda Richa também prestou depoimento e falou por mais de uma hora.

    A ex-primeira-dama Fernanda Richa recebeu antes o alvará e foi solta à meia-noite.

    Saiu em um carro fechado e não falou com os jornalistas. O irmão do ex-governador, Pepe Richa, ex-secretário de Infraestrutura também foi liberado.

    Outros 11 presos na Operação Rádio Patrulha, do Gaeco, estavam no Complexo Médico-Penal, em Pinhais, na região metropolitana, e também foram soltos.

    O ex-chefe de Gabinete de Richa, Deonilson Roldo, tem outro mandado de prisão em seu nome, da 53ª fase da Lava Jato, a Operação Piloto, e deve permanecer preso.

    O MP investiga o  pagamento de propina a agentes públicos, direcionamento de licitações de empresas, lavagem de dinheiro e obstrução da Justiça.

    Beto Richa é considerado chefe da organização criminosa, que fraudou uma licitação de mais de R$ 70 milhões para manutenção das estradas rurais, em 2011, segundo as investigações.



    Publicado por jagostinho @ 01:27



Os comentários NÃO representam a opinião do Blog do Jota Agostinho. A responsabilidade é EXCLUSIVA do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

Deixe um comentário

Por favor, atenção: A moderação de comentário está ativa e pode atrasar a exibição de seu comentário. Não há necessidade de reenviar o comentário.