Publicidade


      Red Apple Cosméticos

      CPV - Centro Paranaense da Visão

      Hospital Cardiológico Costantini

      Hotel Carimã

Twitter @blogdojota


  • 30out

    TRIBUNA PR

    Bolsonaro sim, sem margem de erro

     

    Agora chega de hashtags. Nada de fora isso, fora aquilo. Jair Messias Bolsonaro é o novo presidente do Brasil.

    Você votou nele? Não? Talvez tenha sido um dos efusivos defensores da sua proposta de choque na nação.

    Pois, a partir do dia 1º de janeiro, ele estará despachando no Palácio do Planalto representando não apenas os 55% dos que nele votaram, mas todos os mais de 200 milhões de brasileiros, incluindo aí os que nem às urnas foram. E você!

    É hora de unir o país, cicatrizar feridas abertas e torcer pra que Bolsonaro administre a nação como um verdadeiro estadista, preocupado com os principais flagelos da população.

    Andamos para trás nos últimos anos, o que é indiscutível. Muito se debateu se Jair seria a pessoa certa pra assumir essa nave descontrolada.

    Momento

    Bolsonaro conseguiu encarnar a revolta da maioria dos cidadãos contra a corrupção e os partidos que a operam.

    Todos eles. Conseguiu guarida num partido nanico, o PSL. Tinha apenas 8 segundos por bloco no programa eleitoral da TV, e onze inserções ao longo do primeiro turno.

    Pra ter uma ideia, Geraldo Alckmin tinha à disposição 5 minutos e 32 segundos, e mais 434 inserções.

    Sem fundo partidário, sua campanha foi nas mídias sociais, e nas ruas. Onde foi esfaqueado por um maluco.

    Quase morreu e não pôde mais continuar andando por aí.

    Teve um monte de gente discursando contra ele, tachado de homofóbico, fascista, louco de pedra. Como venceu?

    Simples, o povão quis assim. Manteve a temperatura das eleições sempre alta, como não se via há duas décadas.

    É nisso que Jair precisa pensar agora. Já eleito, em seu primeiro pronunciamento, nas mídias sociais, apareceu empunhando a bíblia e a constituição.

    Dois livros que embalam os sonhos dos brasileiros que o escolheram.

    Por mais que assim esteja sendo chamado, Bolsonaro não é um mito.

    Nem pode se considerar um. Ele é, desde já, o comandante da esperança de uma nação inteira.

    O presidente responsável por garantir liberdades, um futuro próspero e de respeito à lei, à ordem e à democracia.

    Boa sorte, Jair.



    Publicado por jagostinho @ 09:31



Os comentários NÃO representam a opinião do Blog do Jota Agostinho. A responsabilidade é EXCLUSIVA do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

Deixe um comentário

Por favor, atenção: A moderação de comentário está ativa e pode atrasar a exibição de seu comentário. Não há necessidade de reenviar o comentário.