Publicidade


      Red Apple Cosméticos

      CPV - Centro Paranaense da Visão

      Hospital Cardiológico Costantini

      Hotel Carimã

Twitter @blogdojota


  • 09nov

    DIÁRIO DO PODER

     

    Embaixadora exige e diretor da OIT manda retirar tuíte criticando Bolsonaro

     

    Guy Ryder pediu desculpas à embaixadora Maria Nazareth Farani Azevêdo

     

    Embaixadora Maria Nazareth Farani Azevêdo, representante do Brasil junto a organismos internacionais em Genebra.

     

    Após reclamação da embaixadora do Brasil junto às organizações internacionais em Genebra, Maria Nazareth Farani Azevêdo, o diretor-geral da Organização Internacional do Trabalho (OIT), Guy Ryder, desculpou-se e ordenou retirada imediata do tuíte de um funcionário da entidade, ativista próximo ao PT, que criticou no Twitter declarações do presidente eleito, Jair Bolsonaro, sobre a qualidade das estatísticas de desemprego no Brasil.

    A diplomata apresentou sua queixa pessoalmente, no gabinete do diretor da OIT, na tarde desta quinta-feira (8), reclamando que não cabia a um funcionário e nem à organização fazer esse tipo de comentário sobre o Brasil.

    “O Brasil não aceita e não vê com bons olhos comportamento desse tipo”, afirmou a embaixadora, afirmando que se tratava de ativismo político e não trabalho técnico que cabe à OIT.

    O diretor-geral da OIT se desculpou e mandou contatar o ativista para questioná-lo e mostrar sua “inconformidade e desaprovação” com a atitude do funcionário.

    O ativista, funcionário do Departamento de Estatísticas da OIT, considerou “perigosa” a afirmação de Bolsonaro de que os números do IBGE sobre desempregados eram uma “farsa”.

    Na fantasia do ativista, haveria uma “vontade” de se impor sobre a coleta de dados.

    Guy Ryder confirmou à representante brasileira a disposição de dialogar com o governo brasileiro.

    “Espero que isso não se repita para a manutenção do bom relacionamento do Brasil com a OIT”, argumentou a embaixadora.

    Ativistas ligados ao PT, na OIT, têm difundido informações mentirosas sobre iniciativas do governo brasileiro como a reforma trabalhista, desde a época em que a nova lei ainda estava em discussão.

    Publicado por jagostinho @ 16:14



Os comentários NÃO representam a opinião do Blog do Jota Agostinho. A responsabilidade é EXCLUSIVA do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

Deixe um comentário

Por favor, atenção: A moderação de comentário está ativa e pode atrasar a exibição de seu comentário. Não há necessidade de reenviar o comentário.