Publicidade


      Red Apple Cosméticos

      CPV - Centro Paranaense da Visão

      Hospital Cardiológico Costantini

      Hotel Carimã

Twitter @blogdojota


  • 20nov

    RENOVA MÍDIA

     

    Solenidade na Itália homenageia heróis da Força Expedicionária Brasileira

     

    Todos os anos, durante o mês de novembro, na cidade de Pistoia, Itália, ocorre uma cerimônia onde os heróis da Força Expedicionária Brasileira (FEB) que lutaram em território italiano durante a Segunda Guerra Mundial são homenageados

     

    Solenidade na Itália homenageia heróis da Força Expedicionária Brasileira

     

    O evento deste ano de 2018 contou com a presença de diversas autoridades políticas e militares italianas e diplomáticas brasileiras, inclusive governadores e prefeitos das cidades onde a FEB combateu e “contribuiu com a liberação local do jugo nazifascista”, segundo informações do site do Exército Brasileiro.

    A solenidade contou com uma homenagem, aos soldados da FEB, por parte do Exército dos Estados Unidos da América (EUA) e da Associação dos Veteranos da 10ª Divisão de Montanha dos EUA.

    Esta unidade combateu ao lado dos brasileiros sob a égide do IV Corpo de Exército, do V Exército de Campanha dos EUA, entre os meses de janeiro e abril de 1945, tendo contribuído com as ações vitoriosas da FEB em Monte Castello, La Serra, Castelnuovo e Montese, por exemplo.

    Entenda mais um pouco

    Em dezembro de 1944, após os meses iniciais do emprego operativo da FEB contra o jugo nazifascista em solo italiano, foi instalado o Cemitério Militar Brasileiro na cidade de Pistoia.

    Em maio de 1945, ao término da guerra, o Brasil contabilizava a morte de 465 militares na Campanha da Itália.

    Destes, 457 integravam o efetivo do Exército Brasileiro e oito eram oriundos da Força Aérea Brasileira.

    O Cemitério de Pistoia foi o sepulcro dos heróis brasileiros até 1960, quando então seus despojos foram exumados e transladados para o Monumento Nacional aos Mortos na Segunda Guerra Mundial, na cidade do Rio de Janeiro.

    Nessa ocasião, o Cemitério foi desativado e, em 1966, o terreno que o abrigou cedeu lugar ao Monumento Votivo Militar Brasileiro.

    Em 1967, um ano após a inauguração do MVMB, foram localizados os restos mortais de um dos três militares brasileiros desaparecidos desde o fim da guerra – e até hoje não identificado – que se tornou o único brasileiro sepultado no local, no emblemático túmulo do “Soldado Desconhecido”.

    Os corpos dos outros dois militares permanecem extraviados até os dias atuais.

    Publicado por jagostinho @ 17:39



Os comentários NÃO representam a opinião do Blog do Jota Agostinho. A responsabilidade é EXCLUSIVA do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

Deixe um comentário

Por favor, atenção: A moderação de comentário está ativa e pode atrasar a exibição de seu comentário. Não há necessidade de reenviar o comentário.