Jair Bolsonaro anunciou publicamente em Davos, na Suíça, onde participa do Fórum Econômico Mundial, que o Brasil reconhece que a Venezuela tem novo presidente – o jovem deputado Juan Guaidó, presidente da Assembleia Nacional, que declarou a deposição de Nicolás Maduro e se proclamou presidente interino do país.

A posição brasileira é a mesma dos Estados Unidos: Donald Trump foi o primeiro chefe de Estado a reconhecer como legítimo o novo presidente venezuelano, seguido de outros países da América Latina.

Bolsonaro também prometeu apoio político ao novo governo para promover a volta da democracia na Venezuela.

Desde a noite de terça-feira (22), as ruas de Caracas e de outras cidades do interior estão tomadas por manifestações populares contra Maduro, mas o governo resiste e tenta conter os manifestantes usando força policial.

Até a tarde desta quarta-feira informações extra-oficiais davam conta de quatro mortes.