Publicidade


      Red Apple Cosméticos

      CPV - Centro Paranaense da Visão

      Hospital Cardiológico Costantini

      Hotel Carimã

Twitter @blogdojota


  • 11mar

    SEJUF

     

    Debate sobre assédio e relacionamentos abusivos reuniu 300 mulheres

     

    Evento em comemoração ao Dia da Mulher debate abuso e assédio. Foto: Divulgação/SEJUF

     

    A Secretaria da Justiça, Família e Trabalho (Sejuf) reuniu nesta sexta-feira (8) mais de 300 mulheres para discutir assédio em ambiente institucional e relacionamentos abusivos.

    O encontro fez parte da programação especial de conscientização do Dia Internacional da Mulher.

    Goretti Bussolo, diretora do departamento de Garantia dos Direitos da Mulher, afirmou que a meta para os próximos anos é tirar o Paraná do terceiro lugar do ranking nacional de violência contra as mulheres.

    “Estamos trabalhando para diminuir o ciclo de violência com respeito, superação e desafio”, explicou.

    O evento contou com um círculo de conversa com depoimentos de mulheres vítimas de violência atendidas pelo Centro de Referência de Atendimento à Mulher (CRAM), com a supervisão da coordenadora Valquíria Gomes e da psicóloga da Delegacia da Mulher Rosangela Hass Gomes.

    O encontro ainda teve o bom humor do esquete teatral da atriz Carolina Mascarenhas e a apresentação musical de Michele Mabelle.

    PROTAGONISMO – Ao agradecer a presença das mulheres, o secretário Ney Leprevost lembrou que a Sejuf é o órgão do governo do Paraná que mais possui mulheres em cargos diretivos.

    “São mulheres dedicadas, trabalhadoras, que fazem a diferença, como as diretoras Goretti Bussolo (Departamento de Garantia dos Direitos da Mulher), Ângela Mendonça (Departamento de Políticas da Criança, do Adolescente e do Idoso), Regina Bley (Departamento de Direitos Humanos e Cidadania) e Cláudia Silvano (Departamento de Proteção e Defesa do Consumidor), além de coordenadoras e servidoras”, disse.

  • 09mar

    VIA EQUIPE SJUF

    FORÇA TAREFA INFÂNCIA SEGURA TERÁ APOIO DO MINISTÉRIO DA JUSTIÇA PARA COMBATER A PEDOFILIA 

     

    Resultado de imagem para NEY LEPREVOST E WAGNER MESQUITA

     

    O secretário da Justiça, Família e Trabalho do Paraná, Ney Leprevost, recebeu nesta sexta-feira (08), a visita do Coordenador Geral de Combate ao Crime Organizado no Ministério da Justiça, Wagner Mesquita de Oliveira e conseguiu importante apoio para o combate à pedofilia no Paraná.

    Na oportunidade, Mesquita, que é da equipe do ministro Sergio Moro, e do chefe da Secretaria de Operações Policiais Integradas, Rosalvo Franco Ferreira, garantiu apoio ao programa Força Tarefa de Prevenção e Combate a Crimes Contra a Criança – Infância Segura, encabeçado pela Secretaria da Justiça, Família e Trabalho do Paraná.

    “Ações integradas com o Ministério da Justiça seguem a orientação do governador Carlos Massa Ratinho Junior, para que todos os órgãos trabalhem em conjunto com o objetivo de diminuir os números da violência contra crianças no Estado”, disse Ney.

    (Via Assessoria de Imprensa – Pedro Mariucci Neto)

  • 09mar

    AGÊNCIA ESTADUAL DE NOTÍCIAS

     

    Governador em exercício recebe cônsules de 14 países

     

    O governador em exercício Darci Piana se reuniu nesta sexta-feira (8) com 13 cônsules de países da Europa, Ásia e das Américas. A reunião no Palácio Iguaçu também contou com a participação do Chefe do Escritório de Representação do Ministério das Relações Exteriores no Paraná, embaixador Igor Kipman. Curitiba, 08/03/2019. Foto: Gilson Abreu/ANPr

     

    O governador em exercício Darci Piana se reuniu nesta sexta-feira (8) com 13 cônsules de 14 países da Europa, Ásia e das Américas. 

    A reunião no Palácio Iguaçu também contou com a participação do Chefe do Escritório de Representação do Ministério das Relações Exteriores no Paraná, embaixador Igor Kipman.

    O governador em exercício destacou que o Paraná é o “Estado da vez” para investimentos em infraestrutura e agronegócios.

    Ele disse que o Estado deve receber um novo ciclo de investimentos nos próximos anos com as concessões de quatro aeroportos e rodovias federais e estaduais, feitas pela União, além de parcerias para absorver tecnologia para a produção de leite, grãos e frangos, e negócios na área de segurança das fronteiras.

    Darci Piana ressaltou a viagem do governador Carlos Massa Ratinho Junior aos Estados Unidos e disse que o Paraná prepara a instalação de um escritório no Vale do Silício, além de parcerias com universidades e institutos de tecnologia para engrandecer o papel da Celepar.

    “O Paraná tem um potencial extraordinário de crescimento. Essa nova fase dos governos estadual e federal, com a perspectiva da reforma da Previdência, dá a segurança de que o país vai melhorar. A impressão que eu tenho é que o Paraná é o Estado da vez”, afirmou Piana.

    “Muitos empresários e bancos mundiais têm chegado ao nosso governo para conversar a respeito de investimentos”.

    PARCERIAS – Para Andreas Hoffrichter, cônsul honorário da Alemanha, o Paraná é benquisto pelos investidores internacionais.

    “A Alemanha o vê com interesse. Sempre foi um Estado que se destacou, teve crescimento de PIB superior à média brasileira. Os empresários alemães estão querendo investir no Paraná, tem muitas oportunidades de negócios”, destacou.

    No encontro, Hoffrichter também afirmou que o embaixador da Alemanha no Brasil, Georg Witschel, virá ao Paraná no fim de março para buscar parcerias para a indústria de energias renováveis.

    Já Blanca Hernando Barco, cônsul honorária da Espanha, disse que o país tem interesse em negócios da área de infraestrutura e logística.

    “É uma nova era em que muitos investimentos voltarão para o Paraná. A Espanha tem investimentos muito grandes em parques eólicos, trens e aeroportos. Tem interesse na infraestrutura como um todo”, afirmou.

    A cônsul também destacou que Curitiba vai receber neste mês o Smart City Expo 2019 em parceria com a espanhola FIRA Barcelona. O congresso vai trazer empreendedores de todo o mundo ao Paraná.

    PONTES – O governador em exercício e o cônsul-geral do Paraguai, embaixador Carlos Fleitas Rodriguez, frisaram no encontro que a parceria estratégica entre os países pela fronteira paranaense possibilitará a construção da segunda ponte em Foz do Iguaçu para desafogar o tráfego pesado de caminhões da Ponte Internacional da Amizade.

    A ponte que vai ligar Foz do Iguaçu a Presidente Franco já foi licitada e a obra contratada pelo Departamento Nacional de Infraestrutura (Dnit), em 2014.

    O projeto, no entanto, não teve continuidade e agora será retomado com recursos de Itaipu.

    A obra tem custo previsto de R$ 302,5 milhões (considerando estrutura e desapropriações), além de R$ 104 milhões para a construção de uma perimetral no lado brasileiro.

    Os presidentes do Brasil, Jair Bolsonaro, e do Paraguai, Mario Abdo Benítez, se encontrarão novamente em Brasília na próxima semana para acertar os últimos detalhes do acordo.

    AGRONEGÓCIO – O Paraná também se prepara para modernizar a produção de frango e carne vermelha para abrir novos mercados no Oriente Médio e Europa Oriental.

    Segundo o cônsul honorário da Turquia, Luiz Alberto Lenz César, o Estado pode ampliar a oferta de frigoríficos capazes de abater frango no modelo halal, que respeita o ritual muçulmano.

    Ele também destacou que o Paraná deve começar a enviar gado vivo para o Oriente a partir do porto de Paranaguá, nos moldes de Santa Catarina e Rio Grande do Sul.

    O cônsul honorário da República Tcheca, Rui Lemes, disse que os empresários do país têm interesse em vacinas veterinárias e que o país europeu e o Brasil já conversam sobre a troca de tecnologias nas áreas de produção de leite e segurança.

    Darci Piana destacou que os produtores do Paraná precisam de novos mercados para ampliar os seus investimentos.

    “O caminho é o diálogo, a conversa, mostrar nosso potencial, receber as propostas e também ajudar a vender, que é a nossa missão. Fazer com que os empresários do Paraná tenham mercado e possibilidade de expandir as suas vendas para o comércio exterior”, acrescentou.

    PREVIDÊNCIA – Segundo Thomas Augusto do Amaral Neves, presidente do corpo consular e cônsul honorário da Albânia e da República Dominicana, o Paraná tem 45 representações consulares e pode expandir seus negócios nesse novo ciclo de investimento.

    Ele citou, no entanto, a necessidade de aprovação da reforma da Previdência.

    “Essa integração entre governo e os países aqui representados é muito importante para incrementar ainda mais os negócios e também o intercâmbio cultural entre os universitários dos países aqui representados”.

    “O Paraná é um Estado muito bem-visto, mas o Brasil ainda precisa definir algumas coisas, como a reforma da Previdência, para que os países se sintam mais confortáveis em fazer investimentos nesse momento”, afirmou.

    A reforma foi apresentada em fevereiro pelo presidente Jair Bolsonaro e aguarda aprovação do Congresso Nacional.

    PARTICIPAÇÕES – Também participaram do encontro o cônsul-geral do Japão, Hajime Kimura; e os cônsules honorários da Áustria, Tércio Gritsch; de Bangladesh, Marcelo Grendel Guimarães; de Filipinas, Kiyoshi Ishitani; da Guatemala, Norberto de Castilho; da Síria, Gourg Abdullah; e da Ucrânia, Mariano Czaikowski.

  • 08mar

    Pedro Mariucci Neto – Assessoria de Imprensa – SEJUF

    Secretaria da Justiça, Família e Trabalho e Sanepar retomam parceria do programa “Caixa D’Água” para beneficiar mais de 5 mil famílias

     

     

    Em reunião realizada nesta quinta-feira na sede da Secretaria da Justiça, Família e Trabalho (Sejuf), ficou acordado entre o secretário da Justiça, Família e Trabalho, Ney Leprevost, o diretor de investimentos da Sanepar, Joel de Jesus Macedo, a coordenadora do programa da Sejuf “Família Paranaense”, Letícia Reis, e seu assessor, Everton de Oliveira, a retomada do programa “Caixa D’Água”, que beneficiará mais de 5.600 famílias paranaenses em 2019.

    Foi constatado que de cada 5 casas de pessoas de baixa renda, atendidos pelo programa Família Paranaense, 1 casa não tem caixa d’água e, devido a este motivo, o fornecimento pode ser interrompido a qualquer momento, causando graves transtornos.

    “Através do programa Família Paranaense e da Sanepar, durante o governo de Carlos Massa Ratinho Junior, nós vamos o mais rápido possível retomar o projeto Caixa D’água levando saúde, abastecimento e cidadania para as famílias carentes do Paraná. Nossa expectativa neste ano é atender 5.600 famílias”, disse Ney.

    E complementou: “Ter água na residência é fundamental para higiene, para a saúde e até para a própria alimentação”.

  • 08mar

    AGÊNCIA DE NOTÍCIAS DO PARANÁ

     

    Paraná firma parceria para uso da tecnologia blockchain

     

    Na manhã desta quinta-feira,7, o auditório da Celepar recebeu mais de 170 inscritos para a palestra de lançamento da parceria da BRI Brasil (Blockchain Research Institute) com a Celepar. O evento foi aberto pelo presidente, Allan Costa que ressaltou a importância dessa parceria na desburocratização e inovação no serviço público. - Foto: Divulgação Celepar

     

    O Governo do Paraná assinou um acordo com a BRI Brasil (Blockchain Research Institute) no qual a Celepar será precursora do processo de expansão e implantação dessa tecnologia no Estado.

    O objetivo é criar uma gestão pública desburocratizada, ágil e, acima de tudo, com transparência.

    O acordo foi oficializado na manhã desta quinta-feira (7), no auditório da Celepar, em Curitiba.

    A BRI Brasil é uma organização canadense e independente focada em pesquisas inovadoras sobre a tecnologia blockchain, que consiste em blocos de informações que registram várias transações, com cópias espalhadas em diversos computadores.

    Esse sistema dificulta a alteração de dados, já que a mesma informação teria que ser modificada em todos os computadores, impedindo assim situações como desvios de recursos públicos e conferindo celeridade aos processos.

    O diretor-presidente da Celepar, Allan Costa, ressaltou a importância dessa parceria na desburocratização e inovação no serviço público.

    “Somos pioneiros no Brasil ao fechar esse acordo, quebrando paradigmas, colocando todos os órgãos do governo para conversar”, destacou.

    “Vamos levar a Celepar a um novo patamar, respeitando a história da tecnologia da informação, mas sendo o ator principal no papel de inovação para que o Paraná se torne o estado mais inovador do país”.

    O executivo da BRI Brasil Carl Amorim apresentou todos os modelos de tecnologia que podem ser aplicados na gestão pública do Paraná, como a criação de políticas públicas para desburocratizar os serviços, controle de gastos e orientação estratégica e abertura de novos mercados.

    “Vamos oferecer as condições para que o Paraná se transforme em um hub de tecnologia blockchain no Brasil, exportando essa expertise e servindo de referência para outros estados da federação”.

    Ele também destacou a confiança nos dados, que podem ser referentes a transações financeiras, informações de rastreabilidade de produtos agrícolas, informações de compra e venda de produtos.

    “Esses dados são imutáveis, ou seja, uma vez feita a transação não há como alterar, impedindo assim desvios de recursos públicos e agilidade de processos.”, concluiu Amorim.

    NA PRÁTICA – O evento foi encerrado com um painel conduzido pelo diretor técnico da Agência Paraná de Desenvolvimento (APD), Giancarlo Rocco, do qual participaram representantes do setor privado que já utilizam a tecnologia blockchain e a diretora de Operações do Paranacidade, Camila Mileke Scucato.

    Ela detalhou como funciona todo o fluxograma de obras e pagamentos no Estado e de que forma a tecnologia poderia facilitar esse trabalho.

    Segundo ela, hoje o processo para liberação de recursos em uma obra pública segue um rito burocrático, o que inclui o envio de projeto para financiamento de obra pelo município, aprovação de projetos pelo corpo técnico do Paranacidade, autorização, medição da obra e pagamento.

    “Com essa tecnologia, esse processo pode ser simplificado, tornando-se mais ágil. Ele pode ser totalmente informatizado, com a possibilidades de acompanhar todas as etapas da obra por um aplicativo, por exemplo”, explicou.

    BRI – O Blockchain Research Institute (BRI) é uma organização canadense e independente focada em pesquisas inovadoras sobre a tecnologia blockchain.

    Possui mais de 80 projetos que documentam as implicações estratégicas do blockchain nos negócios, governo e sociedade.

    O desafio da instituição é prover oportunidades de mercado, assim como melhores práticas de implementações, além de inspirar e preparar líderes dos setores privado e público para serem os catalisadores da transformação do blockchain.

« Entradas anteriores